Tragédia Climática em Nova Friburgo

Ministério Público pressiona para Prefeitura apresentar plano contra desastres

758 visualizações

Alerta: Friburguenses estão em risco direto de sofrer com deslizamento. Veja onde é, na matéria

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio da 2ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva de Nova Friburgo, notificou o Estado e o INEA para apurar o andamento das intervenções previstas para minimizar os riscos de enchentes e inundações no município, notadamente nas áreas de influência do Rio Bengalas – um dos principais rios que corta a cidade de Friburgo. O acompanhamento segue a premissa de priorizar ações de prevenção de desastres, levando em consideração, entre outros aspectos, a falta de informações sobre o estágio das licitações e contratações das obras.

A partir de agora, os moradores de Nova Friburgo e região serrana contam com um novo canal para compartilhar suas experiências, denúncias e flagrantes através do portal EcoSerrano. LINK PARA O CANAL: https://chat.whatsapp.com/ERr5AYCO0Nq0g0KXQC21iL

Na última quinta-feira (23/05), a promotoria notificou o Instituto Estadual do Ambiente (Inea) a prestar esclarecimentos, no prazo de 20 dias, sobre o estágio das contratações de três projetos principais que haviam sido apontados como de grande importância pelo próprio Inea: obra de rebaixamento do Rio Bengalas; recuperação da cortina de concreto armado das margens do rio; implantação das obras de controle de inundação e recuperação.

A promotoria também solicita, entre outras informações, a apresentação das séries históricas de monitoramento hidrológico para os cursos d’água objetos das intervenções, esclarecimento sobre as fontes orçamentárias disponíveis e programações de despesas.

Promotoria também cobra execução de obras de prevenção de deslizamentos

Paralelamente ao procedimento relacionado com prevenção de inundação, o MPRJ manifestou-se, nas últimas terça e quarta-feira (21 e 22/05), cobrando a execução de medidas determinadas pela Justiça em dois processos relacionados com a tragédia provocada pelas chuvas de 2011 na Região Serrana. 

Na quarta-feira (22/05), a 2ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva de Nova Friburgo requereu à Justiça que o Estado do Rio de Janeiro e o Município de Nova Friburgo iniciem o cumprimento da sentença – ou demonstre que já foram realizadas as intervenções -– que determinou a realização de obras emergenciais para reduzir o risco de deslizamento nas ruas Trajano de Almeida e Eduardo Guinle, no Centro da cidade de Nova Friburgo. Nesta manifestação, a promotoria pede que o Estado e o Município sejam intimados a responder, no prazo de 30 dias, sobre o cumprimento da sentença.

A Justiça condenou os réus ​em 2018 a realizarem intervenções diante da existência de risco de deslizamento e escorregamento em trecho onde havia cerca de 172 pessoas diretamente em risco, além de eventuais passantes. Esta decisão transitou em julgado em dezembro de 2023. Também foi determinado que o município proceda a eventual realocação de residências e a inclusão das famílias no programa de aluguel social. O referido processo foi iniciado após a tragédia provocada pelas chuvas de 2011 na Região Serrana. 

Já na terça-feira (21/05), a promotoria manifestou-se no sentido de concordar com a apresentação, pelo Estado, de um “plano contendo meios adequados para alcançar o resultado pretendido”, suspendendo brevemente o curso do processo de execução até a apresentação do documento. Neste caso, a sentença determinou que o Estado e o Município de Nova Friburgo realizassem obras de contenção, estabilização e drenagem no loteamento Três Irmãos, em São Jorge, também em Nova Friburgo. O MPRJ, entretanto, discordou do Estado e se posicionou pela suspensão máxima de 45 dias e não dos 180 dias pretendidos, haja vista que parte das atividades já teriam sido iniciadas e também diante do tempo decorrido desde a sentença.

A reprodução deste conteúdo em parte ou em sua totalidade, sem prévia autorização, pode acarretar em violação dos direitos autorais e resultar em uma ação judicial.

Redes Sociais do EcoSerrano

Whatsapp EcoSerrano Ocorrências: https://chat.whatsapp.com/ERr5AYCO0Nq0g0KXQC21iL

Telegram
Grupo de Whatsapp 3
Grupo de Whatsapp 2 (lotado)  
Grupo de Whatsapp 1 (lotado) 
Instagram: @ecoserrano
Facebook: @ecoserranoo
Twitter: @serrano_eco

Youtube: EcoSerrano

1 comentários

José Alexandre Vieira 25 de maio de 2024 - 10:28

Prevenção e planejamento são palavras que não estão no dicionário de alguns governantes.

Repetir

Deixe um comentário

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e manuseio de seu nome, e-mail e IP por este website.

Matérias Relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Aceitar Privacidade

Políticas de Privacidade e Cookies